facebookPixel

Aviso: Se está a ler esta mensagem, provavelmente, o browser que utiliza não é compatível com os "standards" recomendados pela W3C. Sugerimos vivamente que actualize o seu browser para ter uma melhor experiência de utilização deste "website". Mais informações em webstandards.org.

Warning: If you are reading this message, probably, your browser is not compliant with the standards recommended by the W3C. We suggest that you upgrade your browser to enjoy a better user experience of this website. More informations on webstandards.org.

EMF

Mestrado em Economia Monetária e Financeira

Questões frequentes

    Questões logísticas

    Erasmus Welcome Guide - guia de acolhimento para estudantes de Erasmus, mas que pode ser muito útil para todos os outros.

    É difícil encontrar emprego após a conclusão do Mestrado em Economia Monetária e Financeira

    Não. Em geral os alunos do Mestrado em Economia Monetária e Financeira (MEMF) encontram emprego ainda antes da conclusão do curso. Na figura abaixo são apresentadas estatísticas para o tempo necessário para encontrar emprego para os mestres em EMF que o procuraram após a conclusão do curso (alguns optaram por prosseguir os seus estudos ao nível do doutoramento ). 

    Últimos 3 anos: entre Janeiro de 2009 e Dezembro de 2011. Taxas de resposta ao inquérito: 85% (últimos 3 anos) e 77% (desde 1995).

    Onde trabalham os mestres em EMF

    Os mestres em Economia Monetária e Financeira trabalham em empresas e outras instituições, em Portugal e no estrangeiro, em diversas actividades económicas. Entre estas destacam-se as actividades financeiras e seguros.

     

    Últimos 3 anos: entre Janeiro de 2009 e Dezembro de 2011. Taxas de resposta ao inquérito: 85% (últimos 3 anos) e 30% (desde 1995).

    O Mestrado em Economia Monetária e Financeira é dirigido aos licenciados do ISEG-UTL

    Não. A maioria dos estudantes admitidos não terminou a sua licenciatura no ISEG/UTL. O Mestrado em Economia Monetária e Financeira (MEMF) pretende atrair alunos de elevada capacidade, independentemente da escola onde tenham feito a sua licenciatura.

    Ainda não terminei a minha licenciatura. Posso candidatar-me

    Sim. As candidaturas ao MEMF são feitas antes do final do ano lectivo. Por isso, os candidatos que ainda se encontram a terminar a sua licenciatura podem candidatar-se apresentando a sua classificação final esperada. Caso esta candidatura seja aceite, terá que fazer prova da conclusão da licenciatura, com uma classificação não inferior à apresentada no boletim de candidatura, até ao início das aulas do mestrado.

    E se a minha candidatura não for aceite

    Propomos que se candidate, em segunda opção, ao Mestrado em Economia do ISEG/UTL. Estes dois mestrados partilham os mesmos objectivos, critérios de selecção, grau de exigência e são os dois únicos mestrados do ISEG/UTL que conduzem directamente ao Programa de Doutoramento em Economia . O 1º semestre é comum e, escolhendo como optativas unidades curriculares do MEMF nos 2º e 3º semestres, obterá um plano curricular que apenas difere em 5% dos créditos.

    Se o número de candidatos for inferior ao número de vagas, são todos aceites

    Não. O MEMF é muito exigente na sua selecção dos candidatos. Existem critérios de mérito absoluto mínimo na avaliação dos currículos, razão pela qual cerca de um quarto dos candidatos é rejeitado liminarmente mesmo que existam vagas disponíveis.

    Também tenho de responder aos exames em inglês

    Admite-se que as respostas possam ser dadas em português, desde que o docente responsável pela correcção domine o português e ele/ela excepcionalmente assim o aceite. Ainda assim, é fortemente aconselhável a utilização do inglês mesmo na avaliação tendo em conta que essa é a língua de trabalho usada nas aulas e na bibliografia. Nestas condições, será mais difícil para um aluno saber as traduções correctas da terminologia usada.

    Falta-me uma cadeira para terminar a licenciatura. Posso iniciar o MEMF enquanto termino a minha licenciatura

    Em geral, não. Apesar de ser possível aceitar candidaturas de não licenciados, estes terão de exibir um currículo científico e profissional verdadeiramente extraordinário. A principal razão para tal é a selectividade do MEMF: lembre-se que cerca de 25% dos candidatos são liminarmente rejeitados, apesar de possuirem uma licenciatura.

    Tenho uma média de licenciatura inferior a 14. Tenho hipótese de ser admitido no MEMF

    Depende dos restantes elementos curriculares. A selecção e ordenação dos candidatos é feita pela análise dos vários elementos do seu currículo e não pela simples ordenação da classificação final dos candidatos. Mesmo para dois recém-licenciados em Economia, sem qualquer experiência profissional, a escola onde obteve a licenciatura é um elemento curricular importante. Uma média de 14 obtida numa escola de topo é, com certeza, mais valorizada que uma média de 19 obtida numa escola de fraca qualidade de ensino. Da mesma forma, uma média inferior a 14 não é obstáculo à aceitação da candidatura, desde que essa licenciatura tenha sido obtida numa escola de reconhecida qualidade. Mas não se esqueça que existe um número limitado de vagas, pelo que é o mérito relativo dos candidatos que decide quem é ou não aceite.

    Tenho uma licenciatura numa área muito diferente da Economia. Terei preparação para fazer o MEMF

    Depende da área. Os candidatos com licenciaturas em áreas com uma forte componente quantitativa tais como Engenharias, Estatística, Física ou Matemática, facilmente adquirir os conhecimentos prévios necessários, desde que façam um pequeno esforço de preparação (ver A Summer Study Guide for New Students of the Master's in Economics and Master's in Monetary and Financial Economics na área restrita, também distribuído aos novos alunos no acto de matrícula). Os candidatos com licenciaturas em áreas com uma fraca ou inexistente preparação quantitativa como Direito, História, Línguas e Literaturas ou Sociologia, podem obter esses conhecimentos prévios apenas à custa de um esforço muito grande.

    Existem cursos de actualização ou de preparação para o 2º e 3º ciclos dirigidos aos novos alunos do MEMF. Estes cursos funcionam em Setembro, antes do início das aulas, e são organizados em parceria com a UECE (Unidade de Estudos sobre Complexidade e Economia).

    Tenho uma licenciatura de 4 ou 5 anos. É possível transferir créditos em excesso para o MEMF

    É possível. Para realizar esta transferência é necessário que estejam preenchidas as seguintes condições necessárias:

    • exista uma grande sobreposição programática (avaliada pela análise do programa e bibliografia) e de qualidade de ensino (para licenciaturas obtidas em outras escolas) da unidade curricular de licenciatura com a sua congénere do MEMF;

    • restam pelo menos 180 créditos na licenciatura após a realização da transferência;

    • não são transferidos créditos respeitantes a unidades curriculares obrigatórias dos actuais programas de licenciatura;

    • a nova classificação final de licenciatura, calculada após a transferência, não é inferior à apresentada na candidatura;

    • são respeitadas as restrições existentes para a escolha de optativas;

    • não é transferido um número de créditos tal que ponha em causa a real obtenção do MEMF no ISEG/UTL.

    A minha candidatura não foi aceite, mas quero muito de fazer o MEMF. O que posso fazer

    Se a sua candidatura não foi aceite por falta de vaga, recomendamos que se candidate, mesmo fora de época, ao Mestrado em Economia do ISEG/UTL (ver " e se a minha candidatura não for aceite?"). Se não foi aceite por ausência de mérito absoluto mínimo, deverá valorizar o seu curriculum. Uma forma estruturada de o fazer passa por obter os 30 créditos correspondentes ao 1º semestre do MEMF como disciplinas extra-curriculares no ISEG/UTL. Em seguida, poderá requerer uma reapreciação da sua candidatura ou realizar uma nova candidatura em muito melhores condições.

    Estou a considerar começar a trabalhar, mas queria fazer o MEMF. É preferível adiar a entrada no mercado de trabalho e fazer o MEMF a tempo inteiro

    Sim. O MEMF é um mestrado exigente e supõe-se que um aluno médio despenda um esforço correspondente a 30 créditos ECTS, ou seja a 800 horas, por semestre. Tendo em conta que cada semestre tem 13 semanas lectivas e 7 semanas adicionais para a realização de trabalhos, preparação e realização de provas escritas, o esforço médio exigido corresponde a 40 horas semanais. Assim, muito dificilmente é possível conciliar um emprego a tempo inteiro com um mestrado a tempo inteiro.

    Já estou a trabalhar, mas queria fazer o MEMF mantendo o meu emprego. É possível

    Sim. No entanto, será de esperar que que a realização do MEMF se prolongue por um período superior aos 2 anos de referência. Um trabalhador-estudante deverá considerar realisticamente, caso tenha um emprego a tempo inteiro, que é um estudante a tempo parcial. Como tal, deverá avaliar o tempo de que dispõe e adequar o número de unidades curriculares a essa disponibilidade. Considerando que, em média, cada unidade curricular do MEMF tem 6 créditos ECTS (160 horas de esforço), deverá considerar, a título indicativo, a seguinte tabela para um período de 20 semanas (um semestre):

    Horas disponíveis por semana* Nº de unidades curriculares (6 créditos cada)
    8 ou menos 1
    9-16 2
    17-24 3
    25-32 4
    33 ou mais 5
    (*) Inclui horas de contacto e avaliação.

    Todas as aulas funcionam depois das 18:00 h

    Todas as unidades curriculares com origem no MEMF funcionam em horário pós-laboral, i.e. após as 18:00 h. Neste grupo incluem-se as unidades curriculares obrigatórias e 6 das 13 optativas condicionadas oferecidas. As optativas condicionadas com origem em outros mestrados e as optativas livres, funcionam de acordo com o horário do mestrado de origem. Tendo em conta que a maioria dos mestrados do ISEG/UTL funciona em horário pós-laboral, é sempre possível escolher as suas opções de forma a ter todas as aulas depois das 18:00 h. Para mais informações consulte Choosing Option Courses in the Master's in Monetary and Financial Economics na área restrita.

    E as aulas são dadas em inglês

    A língua de trabalho do MEMF é o inglês. O MEMF é um mestrado de nível internacional que tem por referência as melhores práticas europeias na área e, como tal, o curso será leccionado em língua inglesa. Apenas será possível a leccionação em língua portuguesa, a título excepcional, em unidades curriculares em que não exista um único estudante internacional que não domine o português e com acordo expresso de todos os alunos.

    A bibliografia é toda em inglês

    Toda a bibliografia obrigatória está em inglês. Em geral não existem traduções para português de livros de nível avançado e poucos são os de produção nacional que se adequam ao grau de exigência do MEMF. Por este motivo, espera-se que os alunos tenham um razoável domínio da língua inglesa.

    Todas as disciplinas estão disponíveis em inglês

    Todas as unidades curriculares obrigatórias e optativas condicionadas que tenham origem no MEMF têm o inglês como língua de trabalho. As disciplinas com origem em outros mestrados funcionarão de acordo com a língua de trabalho do seu curso. Para mais informações consulte Choosing Option Courses in the Master's in Monetary and Financial Economics na área restrita.