Google

Aviso: Se está a ler esta mensagem, provavelmente, o browser que utiliza não é compatível com os "standards" recomendados pela W3C. Sugerimos vivamente que actualize o seu browser para ter uma melhor experiência de utilização deste "website". Mais informações em webstandards.org.

Warning: If you are reading this message, probably, your browser is not compliant with the standards recommended by the W3C. We suggest that you upgrade your browser to enjoy a better user experience of this website. More informations on webstandards.org.

Licenciatura em Matemática Aplicada à Economia e à Gestão

Depoimentos de Orientadores de Estágios

    Manuel de Vasconcelos Guimarães - Presidente da Direcção - APFIPP

    A APFIPP - Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios conta com um licenciado em Matemática Aplicada à Economia e Gestão (MAEG) como responsável pela elaboração, desenvolvimento e análise estatística desde 1999. Esta colaboração iniciou-se sob a forma de estágio tendo evoluído para uma integração na nossa equipa permanente.
    A produção e divulgação de estatísticas sobre os sectores representados pela APFIPP é um dos vectores mais importantes da sua actividade, sendo que se verificou que a licenciatura em MAEG proporcionou os conhecimentos técnicos necessários para a concretização dos objectivos traçados e para o bom desempenho das funções atribuídas.
    A integração deste licenciado nos quadros da Associação muito contribuiu para a evolução qualitativa que se verificou, desde então, nos elementos estatísticos proporcionados pela APFIPP e que permitem aprofundar as análises efectuadas sobre gestão de activos e de Fundos de Pensões no nosso país.

    Alberto Pimenta - Director CTT ? Desenvolvimento Estratégico

    Alberto Pimenta A Direcção de Desenvolvimento Estratégico dos CTT - Correios de Portugal, tem tido, ao longo dos últimos anos, a oportunidade de acolher alunos finalistas do curso de Matemáticas Aplicadas à Economia e à Gestão (MAEG) do Instituto Superior de Economia e Gestão. Nos estágios por nós patrocinados, os alunos são chamados a aplicar metodologias econométricas e de Investigação Operacional, em temas relativos ao sector, actividade e mercado postais. Todos os alunos acolhidos têm demonstrado uma elevada capacidade de trabalho, aceitando e superando os desafios propostos, demonstrando, em ocasião, a capacidade de explorar os conhecimentos adquiridos para estudar e aplicar novas metodologias. Nesse sentido, entendemos estas oportunidades como exemplos da melhor interacção entre a academia e o mundo empresarial.


    Carlos Costa - ICP ? ANACOM

    Carlos Costa O ICP-ANACOM tem admitido estagiários e quadros licenciados em Matemática Aplicada à Economia e Gestão do ISEG, os quais têm revelado um conhecimento técnico elevado, assim como uma boa aplicação destes conhecimentos, demonstrando uma atitude e predisposição para o trabalho positiva, ao longo, quer do estágio, quer do trabalho como quadros desta Instituição.

    Têm também revelado capacidade para melhorar continuamente a sua perseverança e capacidade para antecipar e resolver problemas concretos com os quais se deparam.

    Luís Manuel Pereira Rosa - Caixa Geral de Depósitos (DMF)

    Luís Rosa A licenciatura em Matemática Aplicada à Economia e Gestão (MAEG) do Instituto Superior de Economia e Gestão tem na base uma ideia original e que parece ser a sua principal vantagem comparativa - a flexibilidade que advém de um curso híbrido assente em três pilares: a economia, a gestão e os métodos quantitativos.
    Na actual fase de mudanças rápidas da economia mundial, esta flexibilidade tem um acolhimento positivo da parte das empresas. O sucesso na colocação dos recém-licenciados é disso exemplo.
    Por fim, penso ser muito interessante o estágio final nas empresas que permite ao estudante elaborar uma tese, contactar com o mundo empresarial e estabelecer pontes com a empresa onde estagia.
    Penso, assim, que este é um Projecto conseguido.

    Mariana Abrantes de Sousa - Directora Financeira do ABN AMRO Bank (Portugal)

    Todos os estagiários que trabalharam connosco demonstraram uma excelente preparação técnica em termos de análise quantitativa e económica. Mostraram também grande empenho e capacidade de aprendizagem, demonstrando o entusiasmo e dedicação ao trabalho necessária para se integrarem bem na nossa equipe.
    Na óptica de um banco estrangeiro a operar em Portugal, eu faria as seguintes sugestões:
    - bom domínio do inglês
    - mais conhecimentos de finanças e do mercado de capitais
    - mais orientação à aplicação e ao conhecimento do cliente.

    Parabéns aos vossos alunos e professores!

    Maria José Matos, PhD - Instituto Nacional de Engenharia, Tecnologia e Inovação - Departamento de Materiais e Tecnologias de Produção - Unidade de Engenharia de Materiais

    Por me ter sido solicitada opinião sobre esta licenciatura, informo que os alunos finalistas com quem trabalhei, como orientadora externa de estágio, revelaram sólidos conhecimentos teóricos, aliados a uma elevada capacidade de aplicação prática. Também me foi dado reconhecer-lhes excelentes capacidades de trabalho, com disciplina e método, bom relacionamento em equipa e comportamento correcto e íntegro.
    Os estágios trataram da Modelação Estatística de Dados Experimentais, assunto que os alunos desenvolveram pondo em prática bons conhecimentos de Matemática (opção por modelos/leis matemáticas) e Estatística (testes de hipótese e testes de aderência de distribuições), aliados a destreza na programação e utilização de softwares e na escolha de ferramentas matemáticas adequadas.
    Os resultados obtidos foram publicados em revistas internacionais 'refereed'.