Search button
Eventos Culturais

CONCERTO Antena 2 | Viagens na minha terra

02 Out das 19:00 às 19:01
Quelhas 6 | Auditório CGD



 
19H00 | Duração: 75 minutos c/ intervalo | Co-produção
concertos.antena2@rtp.pt | t. 213 820 015

 

PROGRAMA

"Viagens na Minha Terra"


Amílcar Vasques-Dias (n. 1945) Lume de chão – Tecido de Memórias e Afectos

1 Acender

2 Eira do Outeiro

3 Azinheira de silêncio

4 Espadelar (Linho)

5 Assedar (Linho)

6 Fiar (Linho)

7 Linho

8 Tear-Tecer

9 Ao lume (Conto)

10 Acácia de ninhos

11 Alçapão

12 Cerejas-Pão

13 Sobreiro

II PARTE


Fernando Lopes-Graça (1906 – 1994) Viagens na minha terra – Dezanove Peças para piano sobre melodias tradicionais portuguesas

1 Procissão de Penitência em S. Gens de Calvos

2 Na Romaria do Senhor da Serra de Semide

3 Noutros tempos a Figueira da Foz dançava o Lundum

4 Um Natal no Ribatejo

5 Em Alcobaça, dançando um velho Fandango

6 Em Ourique do Alentejo, durante o S. João

7 Acampando no Marão

8 Em São Miguel d'Acha, durante as Trovoadas, mulheres e homens cantam o Bendito

9 Em terras do Douro

10 Nas faldas da Serra da Estrela

11 Em Silves já não há moiras encantadas

12 Cantando os Reis em Rezende

13 Em Pegarinhos, uma velhinha canta uma antiga canção de roca

14 Na Citânia de Briteiros

15 Em Monsanto da Beira, apanhando a margaça

16 Na Ria de Aveiro

17 Em Setúbal, comendo a bela laranja

18 Em Vinhais, escutando um velho Romance

19 Os adufes troam na romaria da Senhora da Póvoa de Val-de-Lobo


NOTAS AO PROGRAMA

A obra "Viagens na minha Terra", cujo título nos remete para a obra homónima de Almeida Garrett, de Fernando Lopes-Graça dá o título a este recital. Apesar dos cinquenta anos que separam a composição destas obras e ainda que as abordagens e estilos de composição sejam consideravelmente díspares, nota-se um especial interesse por parte dos dois compositores em "retratar" de forma pessoal o nosso país. Em cada um dos andamento do ciclo "Viagens na Minha Terra", composto em 1953 e 1954, encontramos referências a lugares, especificidades ou tradições de várias localidades portuguesas, numa espécie de compilação das viagens de cariz etnográfico que Lopes-Graça foi fazendo pelo país, muitas vezes na companhia do etnomusicólogo corso Michel Giacometti. Assim somos levados a ambientes bem contrastantes: desde a solenidade da "Procissão de Penitência em São Gens de Calvos" ao ambiente dançante de "Em Alcobaça dançando um velho Fandango". Com melodias provenientes da música tradicional portuguesa, esta obra é pautada por uma imensa frontalidade, por vezes quase rude, no discurso musical. Bem diferente é a abordagem de Amílcar Vasques-Dias na sua relação com Portugal e com o piano. Em "Lume de chão", num ambiente poético e nostálgico, Vasques-Dias, natural de Badim (Monção) e actualmente a viver no Alentejo, transporta para a música as impressões, memórias e influências da sua infância minhota e da vida no campo alentejano. "Tecido de memórias e afectos", o subtítulo deste ciclo composto entre 2003 e 2004, procura fazer a ligação entre o "lume de chão" do Alentejo e a "lareira" do Minho. Em termos musicais, o compositor explora continuamente os registos extremos do piano e, de forma a unificar este ciclo, o aparecimento recorrente de fragmentos nas diferentes peças. Este recital resulta assim num passeio poético-etnográfico por Portugal inspirado pela frase de Saramago "Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara".

 

JOANA GAMA, piano

Nasceu em Braga em 1983. Frequentou o Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga, a Royal Academy of Music de Londres e a Escola Superior de Música de Lisboa, onde obteve a Licenciatura em Piano em 2005. Em 2010 concluiu o Mestrado em Interpretação na Universidade de Évora onde prossegue actualmente estudos de Doutoramento sobre música contemporânea portuguesa para piano como bolseira da Fundação para a Ciência e Tecnologia. No Prémio Jovens Músicos obteve várias distinções, nomeadamente o 1o lugar na categoria de piano em 2008. Tocou a solo nos festivais "Música Portuguesa, Hoje" e "Dias da Música em Belém" no CCB. Foi solista com a Orquestra Gulbenkian e Orquestra do Algarve. Integrou a Orquestra Metropolitana, a Orchestrutopica e o Sond'Ar-Te Electric Ensemble. Partindo sempre do piano, nos últimos anos tem estado envolvida em diversos projectos que associam a música às áreas da dança, da fotografia, do teatro e do cinema colaborando com a coreógrafa Tânia Carvalho, o fotógrafo Eduardo Brito, a companhia Esticalimógama ou o realizador João Botelho. No final de 2013 estreará uma nova peça com a companhia Útero no Teatro São Luiz em Lisboa. É membro fundador do CAAA Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura, Guimarães. Gravou diversas vezes para a Antena Informações: www.joanagama.com