Search button

AULA ABERTA | Russo

06 Mai 18:30
Quelhas 6 | Piso 2 | Auditório 2

O SOCIUS, Centro de Investigação em Sociologia Económica e das Organizações, convida-o(a) a estar presente na Aula Aberta de Russo, com Professora ElenaBulakh,e exibição do filme " A Ilha", apresentado pelo Antropólogo António Eduardo Mendonça.

O evento destina-se a professoras/es, investigadoras/es, estudantes e a todas as pessoas interessadas no tema.

A entrada é livre, não sendo necessária inscrição.


 

 

A Ilha (2006)

 

Em 1942, durante a Segunda Guerra Mundial, os Alemães capturam uma embarcação soviética no Mar Branco, com um jovem marinheiro e seu capitão.
Durante a década de 70, num pequeno mosteiro isolado, numa ilha do Mar Branco, vive um monge santo e de conduta extravagante. Este homem invulgar, cujo comportamento bizarro é estranhado pelos outros monges, tem o poder de curar, exorcizar demónios e prever o futuro, mas carrega consigo um terrível pecado…

A Ilha é o exemplo do que de melhor o cinema russo contemporâneo tem para oferecer. Consegue transmitir-nos o ser humano – o ser-se humano, que envolve não só o aspeto humanista, mas o ser lançado ao mundo que faz o seu caminho. O absurdo e o desconcertante estão presentes na própria vida, a todo o momento. Liberto dos problemas da Rússia contemporânea, o realizador Pavel Lungin abre caminho à maturidade do cinema russo, recuperando o existencialismo.

Realização: Pavel Lungin
Argumento: Dmitri Sobolev
Elenco: Pyotr Mamonov, Viktor Sukhorukov, Dmitriy Dyuzhev
112 min – Drama – Rússia


Pavel Lungin
Nascido em 1949, Pavel Lungin é um realizador de cinema russo de origem judia.
Trabalhou essencialmente como guionista até aos quarenta anos, altura em que teve a oportunidade de realizar o primeiro filme, Taxi Blues, pelo qual recebeu o prémio de Melhor Realizador no Festival de Cinema de Cannes, em 1990. Nesse mesmo ano passou a residir em França, realizando filmes sobre a Rússia com produtores franceses.
Em 2006, realizou o filme religioso A Ilha, que encerrou a 63ª edição do Festival Internacional de Cinema de Veneza e foi elogiado pelo líder da Igreja Ortodoxa Russa, Alexis II.
O seu trabalho foi distinguido com o prémio People's Artist of Russia.

Pyotr Mamonov
Ator e músico, Pyotr Mamonov é uma figura emblemática na Rússia.
Iniciou a sua carreira de artista no movimento da contracultura vanguardista e transformou-se no ícone do rock underground russo, da década de 80.
No teatro, Mamonov, apresentava mono-espetáculos em que encarnava um chimpanzé ou um réptil gigante ou simulava ataques epiléticos.
O público deu à sua obra a designação de "alucinação popular russa".
Ficou internacionalmente célebre ao interpretar um papel no filme Taxi-Blues de Pavel Lunguin. Trabalhou com Pavel Lunguin nos dois filmes subsequentes,
A Ilha e O Czar, que ganharam vários prémios nacionais e internacionais.
Atualmente, vive com a sua mulher numa aldeia isolada de Moscovo, adepto da religião ortodoxa.
Há mais de 15 anos que minimizou o contato com o mundo exterior.